15 janeiro 2012

NO CONTRÁRIO

E no contrário
Pode-se sonhar?
Na fina película
Mesmo antes
De o gelo derreter,
Na fracção de segundo
Imediatamente anterior
Ao liquefazer dos sonhos,
Na labareda tímida
Que ainda não queima
Antes do fogaréu a arder:
Pode-se ser ao contrário
Num sonho
E voltar pé ante pé
Sem que ninguém
Dê por nada?

6 comentários:

Filoxera disse...

É claro que pode, G!
As barreiras somos nós que as impomos a nós mesmos. Há que libretarmo-nos delas sempre que valha a pena.
Beijos.

Lídia Borges disse...

Lindo!...

"Num sonho
E voltar pé ante pé
Sem que ninguém
Dê por nada?"

Beijinho

Mar Arável disse...

Tudo é possível

no relativo

mariam disse...

Este teu post está fabuloso! A foto é linda! O poema não menos!

beijinhos :)
mariam

OUTONO disse...

...toda a liberdade criativa, deve-se assumir, quando o sonho é o reflexo do interior questionador.

G... disse...

Obrigada. Bem hajam. beijinhos