20 fevereiro 2012

Solta-me os passos  Não os guardes numa gaveta. Não lhes calces meias quentes nas noites de inverno.  Não feches as portas nem escondas as chaves. Não peças nem supliques e seca as lágrimas ao nascerem. Desata os nós com que os atas enquanto durmo. E não escondas os sapatos.
Deixa-os ir. 
E deixa-me ficar aqui ao pé de ti.

4 comentários:

Mar Arável disse...

... e por vezes parar...

para ver... como se anda

Bj

O meu diário disse...

Ola G... tou de regresso um beijo grande

mariam disse...

Gostei muito deste teu 'soltar os passos'. Parabéns!

beijinhos :)
mariam

OUTONO disse...

...gostei!