31 março 2010

ENRODILHADA DE NADA




Estico-me. Espreguiço-me das pregas,
Que me tenho enrodilhada de ar e luz…
Ergo-me, de triunfos não meus, das regras.
Lanço-me à interrogação que me seduz
Em tragos, em ventos, em luares compridos
Em olhos fechados, nas mãos todas dadas
Em sussurros d’alma, de beijos pedidos,
Na sombra das sombras de céus estrelados.
As marcas, os vincos, o relevo indelével
Moldado na vida, escancarado no ser
Escrito sem palavras na folha de papel
Leito de sorriso, não te quero perder.
Ampla de ansiedade, encontro-te, Paz.
Lisa de recantos, sou gigante, assim:
Nos intervalos da noite – amiga que traz
A força, o enleio para ficar em mim!

(…)



31-03-2010



4 comentários:

O meu diário disse...

Sem fôlego, muito muito bonito !!!

mariam disse...

G...

esticas-te
enrodilhada
nas regras
escreves
encontros
enleios
vida

são assim as tuas palavras . cativas . cativam . cativos(as)

gostei muito

Doce Páscoa!
beijinhos
mariam

G... disse...

mariam... obrigada!
Se te cativam, para te ter cativa de amizade, fico feliz.
Deixo-te estrelas para uma noite iluminada!

António MR Martins disse...

Goreti,

Mais uma tua maravilha.
Gostei.

Beijinho