29 março 2010

LAMENTO




Lamento.

O tanto de mim, solto por aí…

Cada rosto que não fixei,

Cada fôlego que não esgotei

Cada olhar que não busquei.

O tempo.

Que me espalha ao acaso

Que me solta leve nas brisas

Que me lança longe, a prazo

Que me chama com carícias…

Que perco.

De mim buscando-me em ti,

Outro que és, e sempre mais

Até que vejo – que me perdi? –

Entre momentos, como os demais.

Pensando.

Nas dores – em sonhos – amores

No fôlego incansável da vida

Que enfeito com música, e flores…

Mesmo depois de a ver perdida.

Sonho-o.

Cheio, inteiro. Perfeito

Rotinas caídas - esquecidas

Horário de pó, desfeito.

Amarras desfeitas. Perdidas.

Sentido.

2 comentários:

O meu diário disse...

Lindo... onde vais buscar todos esses sentimentos ?
Um abraço

G... disse...

O MEU DIÁRIO: olha... à vidas, principalmente às vidas! Podemos ter várias, sabias?
Beijo