01 março 2010

Não Sei

Não sei.
Se foi o Sol ou a Lua, se foi um Século ou um Dia.
Foi.
A meio de Ti ou de Mim, a meio de um Nós que havia?
Procurei.
Busquei-te fora de Mim, entre Mim e o Mundo, perdi-me nas Teias e nas Entrelinhas.
Insisti.
Bati à Porta que sabia, que nunca – jamais! – se abria. Ficaram ecos da Campainha.
Resisti.
Ao Horizonte pleno de Nadas, ondulado em Dunas amareladas, estéril sobre Passadas cansadas. As minhas.
Esperei.
Pelo Sinal que tardava, pela Chegada nunca anunciada. Pela Resposta nunca aventada.
Desisti.
O Tempo Não pára, mas aninha. Não retrocede, mas Remenda. Não Apaga, mas disfarça: Adeus.
Olá.
- Por onde andaste?
- Não Sei.
- Olá. Se te Queres aqui, deixa-te Estar.

2 comentários:

Truta disse...

Gostei! Parabéns!

G... disse...

Obrigada!
É pequeninoe singelo.Verga-se ao peso do que carrega.Um beijo.