07 junho 2010

AO LUAR

Ao luar
Bateste-me à porta,
Pediste-me para entrar
Dei-te como resposta
O meu respirar
Ao luar
Invejou a madeira
Esse amor oferecido
E encontrou maneira
De o manter escondido
Ao luar
Foi-se-me a calma
Que não te senti voltar
Respiro com a alma
Até te encontrar
Ao luar
Preparo um grito
Para o teu regressar
E em ânsia me agito
P’ra te mandar entrar….
Ao luar
Que a porta se foi
Que a madeira queimei
Que tudo me dói
Porque não gritei!!!
Ao luar
Guardo em tesouro
Cada inspiração
Enquanto te espero
Vida minha, de paixão!


4 comentários:

PÉTALA disse...

G
Se vires a Lua acordar
pede-lhe um simples desejo
O brilho do seu luar
Vai tocar-te como um beijo
Aromas de
PÉTALA

Lídia Borges disse...

Ao luar, a paixão ganha asas e aprende a voar.

Um beijo

G... disse...

PÉTALA:
Fico com o beijo com sabor a luar!

Beijinho

G... disse...

LÍDIA:
O luar ilumina ao quadrado: o corpo e o desejo...
Beijinho