06 janeiro 2010

ESCREVE-ME UMA LÁGRIMA

Escreve-me uma lágrima
Com pena de magia e sonho.
Uma gota de dor em rima,
Água e sal – faz um embrulho!
Que tenho uma mágoa despida
Sovada pela mão da eternidade
Que teima em fazer-me ferida:
Veste-a toda só de saudade!

Ou de uma lágrima oferecida,
Que seja tua para toda a vida!
A minha, que a tua é perdida...

Se quiseres, chora-a por mim
Na luz do sol, no brilho do luar.
Pudera eu chorar-te assim
Cabelo ao vento, a soluçar.
Quem no sorriso sabe sentir
A tua falta, a dor que trago?
Saberá uma lágrima exprimir
Como te sinto, no meu abrigo?

Quero uma lágrima oferecida,
Que seja tua para toda a vida!
A minha, que a tua é perdida...

Escreve-me uma lágrima.
Jamais te saberei chorar...
Água em gota - só uma!!!
Preciso dela, para te mostrar
-Para além do eco de cada dia -
Aquele recanto: o teu lugar,
No meu arquivo de nostalgia
Onde visito o teu olhar.

Para sempre tua, na minha vida,
Será aquela lágrima – oferecida.
Choro-a sorrindo, por saber-te perdida...

Para a Mãe e Mãe da Mãe, (para) sempre na memória

3 comentários:

Truta disse...

Gosto muito! Grande escritora e mulher!

G... disse...

Tu és suspeito.... :-)

Anônimo disse...

Muito sentido.... Lindo !
Mado ;)