27 maio 2010

JANELA


Quero-me nessa janela em ti
Tão longe e perto, tão já aí,
Tão pequenina, tão toda magia,
Com uma sardinheira dependurada,
De cores garridas, da cor da alegria.
De cortina branca, pura, alvoroçada
Pelo vento que nasce se passas na rua
E me sopras um beijo e me fazes tua.

6 comentários:

Maria disse...

Uma janela do coração...

Beijo, G.

G... disse...

MARIA: de um coração intocado,. Que ainda se alvoroça com um beijo soprado...

Beijo

OUTONO disse...

Olhando o comentário anterior....ainda bem....

O resto...simples e cativante...

aarcps disse...

Da janela vês o mundo... sentes o teu instinto...

G... disse...

Outono:
Não necessariamente o meu...
Assim.... um! De tanta gente!
Beijo salpicado de estrelas

G... disse...

aarcps:
Da janela vejo o mundo. Posso escolher a cor com que o vejo. Só não posso mudar o sabor do instinto.
Beijo