11 maio 2010

À procura da noite

A noite procura-o. Esquiva. Quer colar-se-lhe à pele. Morena. Chama-o do fundo das sombras. Perdida. Sentado no escuro sorri. E deseja-a.
Lança-lhe as lembranças do futuro, em espirais fugidias que se espalham pelos momentos. Serpentinas rebeldes. Entrançadas de suspiros e beijos e suor ao quadrado. De sorrisos partilhados com luzes diáfanas de velas. De sintonias para além das notas musicais, de sinfonias de cordas tensas, corpos feitos instrumentos, notas fáceis. Demais….
A luz envolve-o. Matreira. Cobre-o em manto. Alicia. Com promessa de revelação, encandeia-a. Chama-a da superfície da luz. Encandeia-a. Abraça-a, com a alma. Abraça-a… Sentado no reflexo sorri. E ama-a…

8 comentários:

Lídia Borges disse...

Gosto! São envolventes os teus textos. Gosto!

Um beijo

G... disse...

Lídia:
Obrigada!
Muito... obrigada!

Beijinho

Maria disse...

Noite bendita!

Beijinho.

G... disse...

Maria:
Colo dos sonhos, a noite. Bendita.
Obrigada por esta estrela na minha noite.

mariam disse...

Perfeito! TUDO.
bom 'descanso' aproveita o 'dolce fare niente' :)

beijo
mariam

G... disse...

Mariam, obrigada amiga!
Beijo
Ou... Kisses!
LOL

OUTONO disse...

...primeiro sorrio...depois releio...a seguir digo-te...Lindo este momento da tua leitura...do correr por aqui.
Fica bem. Beijinho.

G... disse...

OUTONO: E sorris porque?...
Beijinho