18 abril 2010

DESTINO

Conheces-me os CAMINHOS.

Os teus.

Que os outros são cicatrizes de passado.

Conheces-me os ABISMOS.

Os meus.

Que os teus são mistério, são SEGREDO.

Conheces-me as VEREDAS.

Escondidas.

Que não as quero por aí, oferecidas.

Conheces-me as ESTRADAS.

Batidas.

Moídas de vida e de vidas.

Conheces-me o LEITO.

Imperfeito.

Onde o sonho é feito e desfeito.

Conheces-me a LINHA.

Na superfície.

Que o vento cria quando a desalinha.

Fazes-te ETERNO.

Em mim.

Quando me entrego ao DESTINO.



18 abril 2010

7 comentários:

Lídia Borges disse...

De como o dar-se pode ser eterno.

Muito bonito, mesmo!

L.B.

G... disse...

Lídia:
Obrigada!
Os comentários de quem escreve tão bem são preciosos para mim, neste mundo tão recentemente descoberto, onde vivo e sinto de mãos dadas com quem me lê.
Onde aprendo e onde me refugio, onde outros escrevem maravilhas, mostrando-me caminhos novos todos os dias.
É uma alegria grande e um forte estímulo saber que alguém me «ouve».
Muito, muito, muito obrigada!

PÉTALA disse...

G
Será que o destino está só na palma da mão...?
Não, também está na palma do coração...!

Aroma de
PÉTALA

PÉTALA disse...

G
Será que o destino está só na palma da mão...?
Não, também está na palma do coração...!

Aroma de
PÉTALA

Maria disse...

Muito belo este poema. Ainda não conheço bem a tua escrita, mas este poema poderá ficar-me colado à pele.
Tenho de ter tempo para te ler mais, para poder apreciar melhor.

Um abraço.

G... disse...

Aroma de Pétala:
O destino é uma trança, que devemos ir fazendo com carinho... Com o que temos na palma da mã, com o que temos na palma do coração e com... as surpresas da vida, que nos fazem crescer.
Obrigada!
G...

G... disse...

Maria:
Se as palavras que aqui lanço «à net» merecerem uma leitura mais atenta... a sua... fico feliz!
Sou muito «fresca» nestas lides e uma opinião sincera é sempre mais que bem vinda!
Acabamos sempre por precisar do nosso reflexo para nos conhecermos melhor.
Obrigada.
Beijinho
G...