26 abril 2010

LIBERDADE EM TURBILHÃO



Vês-me, de baixo para cima?

Aqui assim, a flutuar?

Não é minha a água lisa.

Onde me deixo a boiar.



Do cimo do Sol, vês-me?

Aqui assim, estendida?

Na areia quente, tens-me

Para sempre, oferecida.



A lua deixa-te espreitar?

Nua que estou, fico bela

Para me poderes sonhar

Enquanto brincas com ela….



Pede ao vento liberdade:

Ele que te faça vir

Num turbilhão de vontade

Fazer meu corpo sorrir….



27 Abril 2010

3 comentários:

Lídia Borges disse...

Entre a distância e o desejo, "um turbilhão de vontade"


Um beijo

PÉTALA disse...

G
Um turbilhão de emoção
Sentida no coração

Aroma de
PÉTALA

G... disse...

Lídia, Pétala:
um Obrigada em turbilhão.
Mas de alegria, neste mundo novo de descoberta de mim!
Beijinhos