27 abril 2010

Vivo o amor



vivo o amor como se o mundo tivesse acabado ontem e só o tivesse descoberto hoje para o viver amanhã....
quero-nos num quarto
sem paredes
num carro
sem rodas
num jardim
sem bancos
porque seremos
só eu e tu
o resto só matéria
substância e alma
só nós em nós
corpo e desejo
só tu e eu
num tempo sem fim
e quando o corpo
-corpo nosso feito um -
não mais puder
apesar de nos querer
num sempre infinito
ficaremos
largados
no
chão:
faremos amor
com a alma!


27 Abril 2010

4 comentários:

Maria disse...

Sei do que falas...

:)
Beijo.

G... disse...

Maria:
:-)
Ainda bem.
Ninguém devia viver nem morrer sem amar assim.

Beijo
(ja trazia um vazio...)

Lídia Borges disse...

Não interessa o "onde" ou o "como", só o "com quem"... eternamente!

Um beijo

G... disse...

Lidia:
Ora aí está!
E se puder ser eternamente... importa o quem?

Estrelas com as mãos cheias... de beijos para esta noite!
G...